CRIANDO-MAPA-DECLIVIDADE-NO-QGIS

Mapa de declividade no QGIS 2.2

Conhecer a declividade de um terreno é importante para estudos geológicos, geomorfológicos, hidrológicos, etc. A representação cartográfica da declividade do relevo é feita através de mapas temáticos, expressos em classes com agrupamentos de intervalos que podem variar de acordo com o objetivo que o trabalho se propõe ou adaptação às condições físicas da área estudada.

Vários estudos desenvolveram propostas para as classes de declividades. Nesse tutorial trabalharemos como exemplo a classificação da Embrapa Embrapa (1979), tendo como base dados SRTM.

CRIANDO UM MAPA DECLIVIDADE NO QGIS

Calculando a declividade do terreno:

DeclividadeO primeiro passo é calcular a declividade do terreno. Para isso basta seguir os passos sugeridos no meu último tutorial “CÁLCULOS DE DECLIVIDADE NO QGIS”

Nesse tutorial foi utilizado arquivos SRTM para realizar o cálculo de declividade do terreno. Mas você também pode utilizar os dados do ASTER GDEM, Topodata ou outro MDT.

Criando regras para reclassificação do Raster:

Para criar as classes de declividade tomaremos como base o tutorial criado pelo perito Federal Agrário do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) Hélder Gramacho dos Santos, publicado no blog QGIS Brasil e republicado no blog ClickGeo.

Para a elaboração de mapas de declividade, frequentemente dividimos a declividade em classes que facilitam compreensão de como é o relevo da região.  Por padrão a declividade é calculada em graus, mas a maioria dos estudos utilizam classes de declividade em porcentagem. Como a que é mostrada abaixo:

Classes de declividade propostas pela Embrapa , 1979.

[table width =”100%” style =” table-hover” responsive =”true”]
[table_head]
[th_column]Classes de Declividade[/th_column]
[th_column]Limites Percentuais (%)[/th_column]
[/table_head]
[table_body]
[table_row]
[row_column]Plano[/row_column]
[row_column]0-3[/row_column]
[/table_row]
[table_row]
[row_column]Suave Ondulado[/row_column]
[row_column]3-8[/row_column]
[/table_row]
[table_row]
[row_column]Ondulado[/row_column]
[row_column]8-20[/row_column]
[/table_row]
[table_row]
[row_column]Forte – ondulado[/row_column]
[row_column]20-45[/row_column]
[/table_row]
[table_row]
[row_column]Montanhoso[/row_column]
[row_column]45-75[/row_column]
[/table_row]
[table_row]
[row_column]Escarpado[/row_column]
[row_column]> 75[/row_column]
[/table_row]
[/table_body]
[/table]

Criando as regras para as classes de declividade da EMBRAPA, 1979Para esse tutorial criaremos mapas utilizando as propostas de classes de declividade da Embrapa, mas você poderá adaptá-lo para qualquer proposta adotada em sua pesquisa, como as de Lepsch, 1991 e de Ross, 1999.

O primeiro passo para criarmos o nosso mapa é reclassificar o arquivo de declividade para as classes propostas. Para isso utilizaremos o algorítimo “reclass” do módulo sextante. Esse algorítimo realizará um fatiamento do nosso raster de declividade.

Para isso copie o texto abaixo para um arquivo do bloco de notas e salve como “Classes_declividade_embrapa”. Ou baixe o arquivo aqui.

0.0000 thru 3.0000 = 1 PLANO (0-3%)
3.0001 thru 8.0000 = 2 SUAVE ONDULADO (3-8%)
8.0001 thru 20.0000 = 3 ONDULADO (8-20%)
20.0001 thru 45.0000= 4 FORTE-ONDULADO (20-45%)
45.0001 thru 75.0000= 5 MONTANHOSO(45-75%)
75.0001 thru 2000.0000= 6 ESCARPADO ( > 75%)
end
Esse arquivo servirá de guia para o algorítimo realizar o fatiamento das classes de declividade. 

Reclassificando os dados raster:

Opções da ferramenta reclass
Opções da ferramenta reclass

Depois de criar o arquivo iremos acessaremos o painel Processamento > Caixa de ferramentas > e na caixa de busca procuraremos por  “reclass” (sem aspas).

Observe que no primeiro item “input raster layer” deve indicar o raster com a declividade calculada em percentuais; no segundo item “File containing reclass rules” você deve indicar o arquivo do bloco de notas com as regras para o fatiamento das classes de declividade e finalmente no terceiro item “output raster layer” deve indicar o nome do raster que será criado e a pasta onde será salvo.

Clique em “OK”, para que seja criado e adicionado o raster com os pixeis reclassificados com valores que variam de 1 a 6.

Atribuindo estilos aos arquivos raster:

Agora que temos o raster classificados vamos dar ênfase a essa classificação utilizando uma rampa de cores específica para os dados de declividade. No caso criei um mapa de estilo .qml que ,além de definir as cores para cada classe de declividade (com base nos mapas de declividade da Embrapa), definem a nomenclatura que ira aparecer na legenda.

Download do arquivo “Declividade_Embrapa.qml”

Com isso basta carregar arquivo “Declividade_Embrapa.qml” junto as propriedades de estilo da camada > carregar estilo.

Classe de cores para declividade
Classe de cores para declividade

Pronto temos um mapa de declividade, com as classes definidas pelo usuário e com um visual pré-definido bem interessante, mas que pode ser alterado de acordo com as necessidades de cada pesquisador.

Mapa de declividade
Mapa de declividade

FAÇA O DOWNLOAD DESTE TUTORIAL EM PDF

Fontes:

Reclassificação de dados raster com QGIS > SEXTANTE >GRASS
Avaliação da Aptidão Agrícola das Terras: proposta metodológica EMBRAPA
Script para criação de mapas de declividade no GRASS
QGIS: Reclassificação de Dados Raster com Sextante + GRASS

O que vocês acharam deste tutorial  sobre a criação de mapas de declividade no QGIS? Aguardo seus comentários, dicas e sugestões.

Não deixe de curtir  nossa página no Facebook [Narcélio de Sá – Geotecnologias] e no Google plus e não esqueça de seguir nosso Twitter [@narceliodesa]

Narcélio de Sá

Geógrafo, blogueiro, Nerd-GeoGeek. Integrante da comunidade QGIS Brasil e apaixonado por Open-Source & Open-Data.

  • Douglas

    Caro Narcélio, boa noite! Executei seus 2 tutoriais pra criação do mapa de declividade, entretanto, ao executar o calculo me deparo com o seguinte erro: “Um erro ocorreu enquanto executava o seguinte código Python:
    Traceback (most recent call last):
    File “C:/Users/Douglas.MARIO-HP/.qgis2/python/pluginsprocessingguiAlgorithmExecutionDialog.py”, line 265, in accept
    command = self.alg.getAsCommand()
    File “C:/Users/Douglas.MARIO-HP/.qgis2/python/pluginsprocessingcoreGeoAlgorithm.py”, line 496, in getAsCommand
    s += out.getValueAsCommandLineParameter() + ‘,’
    File “C:/Users/Douglas.MARIO-HP/.qgis2/python/pluginsprocessingoutputsOutput.py”, line 64, in getValueAsCommandLineParameter
    return ‘”‘ + str(self.value).replace(‘\’, ‘\\’) + ‘”‘
    UnicodeEncodeError: ‘ascii’ codec can’t encode character u’xea’ in position 44: ordinal not in range(128)

    Versão do Python:
    2.7.5 (default, May 15 2013, 22:44:16) [MSC v.1500 64 bit (AMD64)]

    Versão do QGIS
    2.2.0-Valmiera Valmiera, c3a2817

    Caminho para o Python: [‘C:/Users/Douglas.MARIO-HP/.qgis2/python/plugins\processing’, ‘C:/PROGRA~1/QGISVA~1/apps/qgis/./python’, u’C:/Users/Douglas.MARIO-HP/.qgis2/python’, u’C:/Users/Douglas.MARIO-HP/.qgis2/python/plugins’, ‘C:/PROGRA~1/QGISVA~1/apps/qgis/./python/plugins’, ‘C:\PROGRA~1\QGISVA~1\bin\python27.zip’, ‘C:\PROGRA~1\QGISVA~1\apps\Python27\DLLs’, ‘C:\PROGRA~1\QGISVA~1\apps\Python27\lib’, ‘C:\PROGRA~1\QGISVA~1\apps\Python27\lib\plat-win’, ‘C:\PROGRA~1\QGISVA~1\apps\Python27\lib\lib-tk’, ‘C:\PROGRA~1\QGISVA~1\bin’, ‘C:\PROGRA~1\QGISVA~1\apps\Python27’, ‘C:\PROGRA~1\QGISVA~1\apps\Python27\lib\site-packages’, ‘C:\PROGRA~1\QGISVA~1\apps\Python27\lib\site-packages\PIL’, ‘C:\PROGRA~1\QGISVA~1\apps\Python27\lib\site-packages\win32’, ‘C:\PROGRA~1\QGISVA~1\apps\Python27\lib\site-packages\win32\lib’, ‘C:\PROGRA~1\QGISVA~1\apps\Python27\lib\site-packages\Pythonwin’, ‘C:\PROGRA~1\QGISVA~1\apps\Python27\lib\site-packages\Shapely-1.2.18-py2.7-win-amd64.egg’, ‘C:\PROGRA~1\QGISVA~1\apps\Python27\lib\site-packages\six-1.3.0-py2.7.egg’, ‘C:\PROGRA~1\QGISVA~1\apps\Python27\lib\site-packages\wx-2.8-msw-unicode’, ‘C:\PROGRA~1\QGISVA~1\apps\Python27\lib\site-packages\xlrd-0.9.2-py2.7.egg’, ‘C:\PROGRA~1\QGISVA~1\apps\Python27\lib\site-packages\xlwt-0.7.5-py2.7.egg’, ‘C:\PROGRA~1\QGISVA~1\apps\qgis\python\plugins\fTools\tools’, ‘C:/Users/Douglas.MARIO-HP/Dropbox/Bacia Tietxc3xaaJacarxc3xa9/DRASTIC/BHTJ/Nova Pasta’]”

    Já reinstalei o QGIS e nada cara, você pode me ajudar?

    Um abraço e parabéns pelo trabalho

    • Olá Marcela e Douglas. O erro que aparece nessa situação pode ter algumas causas distintas. Os erros mas comuns são:

      1 – Nomenclatura de pastas e arquivos com caracteres especiais (acentos, ç, espaços).

      2- Nome de usuário com caracteres especiais (acentos, ç, espaços). No caso do Douglas indico que simplifique o nome de usuário (Douglas.MARIO-HP)

      Dentre outros, indico que vcs deem uma lida no Manual Técnico para Download e Instalação do SIG QGIS 2.2 elaborado pelo Jorge Santos: http://www.processamentodigital.com.br/2014/06/07/manual-tecnico-para-download-e-instalacao-do-sig-qgis-2-2/

      Lá vcs encontram dicas para evitar erros comuns com o QGIS (e demais SIG’s). Caso os erros persistam entrem em contato comigo pelo e-mail: narceliodesa@qgisbrasil.org . Dai podemos trocar informações e , se for o caso, marcar um hangout para tentarmos encontrar e solucionar o problema. Abraços

    • Olá Mário, verifique a nomenclatura dos caminhos que você está adotando nas pastas. Evite qualquer caractere especial (espaços, pontos, acentos, etc) pois isso interfere nos algorítimos de processamento dos dados. No teu caso o erro é esse: — UnicodeEncodeError: ‘ascii’ codec can’t encode character u’xea’ in position 44: ordinal not in range(128) — que indica um caractere que não pode ser lido pelo algorítimo, tudp indica que seja o espaço na pasta “Bacia Tietxc3xaaJacarxc3xa9” no seguinte caminho ‘C:/Users/Douglas.MARIO-HP/Dropbox/Bacia Tietxc3xaaJacarxc3xa9/DRASTIC/BHTJ/Nova Pasta’]”.

      Altere esses parâmetros e tente reexecutar o procedimento.

  • Marcela

    Bom dia Narcélio! Estou com o mesmo problema que o Douglas (comentário abaixo) e também já reinstalei o Qgis e nada. Você saberia me ajudar? Obrigada!

  • Jonatan Sousa

    Boa tarde Narcélio!
    Meu amigo, antes de mais nada parabéns pelos tutoriais!
    Narcélio, gostaria de saber se você tem algum tutorial para cálculos de APP de Topo de Morro, conforme Resolução Conama 303/02?
    Possuo as curvas de nível já desenhadas em DWG. Seria muito bom poder utilizá-las, tendo em vista sua precisão em relação as imagens SRTM.
    Poderia me ajudar?
    Fico grato meu amigo!

  • Flávio Oliveira Silveira

    Bom dia, comigo está dando o erro: “Problemas na leitura da camada de saída”; “Oooops! The following output layers could not be open”

  • Felipe

    Olá, bom dia.
    Sou iniciante em GIS
    Segui todos procedimentos, mas ao final foi gerado uma imagem com apenas uma cor.

    • Olá Felipe, me envie por email (narceliosaperiera@gmail.com) um print do seu resultado. Assim posso te auxiliar com mais segurança. Abraço

  • alessandro

    Tenho um arquivo dentro do geoofice e gostaria de saber como importar para o qgis e como gerar depois o mapa de declividade.

  • Eric Pereira

    Olá, fiz todo o processo usando uma imagem do SENTINEL 1, porém na hora de reclassificar a declividade o algoritmo ta dando erro, você sabe os valores a ser inseridos no algorítmo?

    • Olá Eric,
      Os valores inseridos no algorítimo para reclassificação devem ser referentes aos valores de apresentados nos píxels da sua imagem.

      • Eric Pereira

        Consegui, usando a banda “s1a-iw-grd-vh-20150508t081650-20150508t081719-005827-0077f4-002” na pasta “measurement” dos arquivos baixados do Sentinel 1, eu usei o mesmo algoritmo desse tutorial, sem alterações.
        Obrigado pela atenção.